Animais incríveis

Mike, o frango sem cabeça: viveu 18 meses com sua cabeça cortada.

Mike (abril 1945 – Março 1947) era um frango da raça Wyandotte que viveu 18 meses depois de sua cabeça ter sido cortada. Muitos pensaram que era uma fraude até que seu dono o levou para a Universidade de Utah em Salt Lake City para confirmar a autenticidade.

Mike, o frango sem cabeça

Mike, o frango sem cabeça

Numa segunda-feira, dia 10 de setembro de 1945, o fazendeiro Lloyd Olsen, de Fruita, Colorado, queria fazer uma sopa para sua sogra e a pedido de sua esposa foi ao quintal para matar um frango. Olsen falhou completamente na tentativa de decapitar o frango de 5 meses e meio chamado de Mike. O machado errou a veia jugular, deixando um ouvido e a maior parte do cérebro intacta. Uma vez que a fama do frango se estabeleceu, Mike começou uma carreira de viagens se apresentando em companhia de outras criaturas bizarras, como um bezerro com duas cabeças. Também foi fotografado por dezenas de revistas e jornais, inclusive aparecendo nas revistas Time e Life. Olsen foi criticado por alguns por ter deixado o frango sem cabeça vivo. Em março de 1947, em um motel em Phoenix, em um pernoite enquanto voltavam para casa depois de uma turnê, Mike começou a sufocar-se no meio da noite. Como os Olsen inadvertidamente haviam deixado suas seringas de alimentação e limpeza no local do último show do dia anterior, foram incapazes de salvar Mike.

 Oscar, o gato: é capaz de prever a morte de pacientes em estado terminal.

Oscar foi adotado como um gatinho de estimação de um abrigo para animais e cresceu no terceiro andar da unidade de demência do Centro de Reabilitação e Enfermaria Steere em Providence, Rhode Island. A unidade trata de pacientes com Alzheimer, Parkinson e outras doênças, a maior parte delas estão no fim de suas vidas (onde a morte é iminente) e ignoram completamente o que passa ao seu redor.

 

Oscar, sabe a hora em que a morte vai chegar (macabro).

Oscar, sabe a hora em que a morte vai chegar (macabro).

 

Depois de cerca de 6 meses, o pessoal notou que Oscar, exatamente como os medicos e enfermeiras, fazia suas próprias visitas. Ele cheirava e observava os pacientes, então se enrolava e dormia com alguns. O que surpreendeu o pessoal foi que os pacientes junto aos quais Oscar dormia, geralmente morriam duas a quarto horas após a chegada dele. Um dos primeiros casos foi de uma paciente que tinha um coágulo de sangue na perna, que estava gelada. Oscar se enrolou ao redor da perna da mulher e ficou ali até que a mulher morreu. Em outro caso, o médico tinha diagnostica morte iminente diante das condições de um paciente, enquanto Oscar simplesmente saiu da sala, levando o doutor a pensar que as previsões certeiras de Oscar (naquele tempo já eram 12) tinham terminado. Entretanto, depois se descobriu que o prognóstico do médico estava simplesmente 10 horas adiantado – mais tarde Oscar visitou o paciente, que morreu duas horas depois.

O prognóstico certeiro de Oscar (atualmente são mais de 25 casos confirmados) levou a direção a criar um novo e incomum protocolo – uma vez que ele é encontrado dormindo com um paciente, a direção do hospital chamará os membros da família para notificá-los da morte iminente do paciente.

Na maior parte das vezes a família do paciente não se importa de que Oscar esteja presente na hora da morte; em outras ocasiões quando ele é retirado do quarto a pedido da família, é sabido de que ele retorna e fica miando em protesto em frente da porta. Quando presente na hora da morte, Oscar fica junto do paciente até o momento em que ele ou ela dá seu último suspiro – depois do que Oscar se senta, olha ao redor , então vai embora sem que quase ninguém perceba.

Pondo de lado suas habilidades, o que faz a companhia de “última hora” de Oscar parecer mais intrigante é que, conforme descrito pelo Dr. David Dosa, ele não é um gato que amigavelmente conviva com as pessoas. Um exemplo disso foi descrito em seu artigo para o New England Journal of Medicine: Quando uma senhora com o seu caminhador passou por ele em uma das voltas que ele dava pelo hospital, Oscar soltou um gemido como que querendo dizer “me deixa em paz”.

A série “Animais incríveis” irá continuar.

(Fonte: oddee.com)

Anúncios

2 Comentários

  1. A do frango é terrível, imagine o cara ficar alimentando e limpando o animal com seringas por 18 meses. Mas a do gato eu havia visto em um documentário. É simplesmente espetacular.

    p.s: Tem um meme lá no Pipoca, indiquei você caso queira participar.

  2. á, já ouvi a notícia do frango sem cabeça. também já uma cobra atacava com a cabeça e o resto corpo cortado.


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s