Possível autorretrato de Leonardo Da Vinci descoberto.

Leonardo da Vinci (1452-1519) foi o maior expoente do Renascimento. Sendo um prolífico pintor, além de escritor, anatomista, engenheiro, matemático, músico, naturalista e filósofo, bem como arquiteto, escultor e reinventor da fábula na Itália.

Autorretrato, como classificaram os especialistas foi divulgado em28/02/2009, na TV italiana. (Foto: Reuters)

Autorretrato, como classificaram os especialistas foi divulgado em 28/02/2009, na TV italiana. (Foto: Reuters)

O fato interessante desse grande homem é que, ao gosto do livro Código Da Vinci de Dan Brown, parece que realmente ele gostava de mistérios e segredos (alguns de seus escritos eram realizados de trás para frente, de forma que somente podiam ser lidos à frente de um espelho). Uma prova disso foi revelada dia 28/02/2009, na TV italiana.

Como nos conta o Portal de Notícias da Globo – G1 – “um esboço que durante cinco séculos ficou oculto sob um texto manuscrito em um dos cadernos de Leonardo da Vinci pode ser um autorretrato dele na juventude, de acordo com especialistas italianos que “envelheceram” o desenho para compará-lo com autorretratos do artista, feitos quando ele já era mais velho.

Escondido sob camadas de manuscrito numa página do “Códice sobre o voo dos pássaros”, o desenho foi identificado pelo jornalista científico italiano Piero Angela, que apresentou neste sábado imagens de sua descoberta na televisão estatal italiana RAI. 

Estudando um fax de alta qualidade do códice, Angela primeiro detectou o esboço leve de um nariz sob o texto preto espesso da décima página do códice, disse ele em entrevista coletiva nesta sexta-feira (27). O estudioso convocou então a ajuda de historiadores da arte, especialistas forenses policiais e do departamento gráfico da RAI para converter em branco o texto preto que recobria o esboço, deixando-o da mesma cor que o papel.

Especialistas removeram o texto, para descobrir o que havia por baixo dele. O que apareceu foi o rosto de um homem, depois identificado como Da Vinci. (Foto: Reuters)

Especialistas removeram o texto, para descobrir o que havia por baixo dele. O que apareceu foi o rosto de um homem, depois identificado como Da Vinci. (Foto: Reuters)

Descoberta

Ao longo de meses de trabalho com micropixels, o designer gráfico Giovanni Stillitano pouco a pouco “removeu” o texto e revelou o desenho que há por baixo. O que emergiu foi o rosto de um homem entre jovem e de meia-idade, com cabelos longos, barba curta e olhar penetrante. 

Primeiramente, os traços foram comparados a todos os retratos e esboços conhecidos de homens jovens feitos por Leonardo, mas não foi encontrada nenhuma correspondência.

Autorretrato de Leonardo, cerca de 1512 - Biblioteca Reale de Turim

Autorretrato de Leonardo, cerca de 1512 - Biblioteca Reale de Turim

Então, tendo notado semelhanças com o famoso autorretrato de Leonardo em idade avançada, pintado por volta de 1512 — um trabalho de giz vermelho sobre papel, abrigado na Biblioteca Reale de Turim –, Angela se perguntou se o desenho poderia ser um autorretrato de Leonardo mais jovem. 

 

Futuro e passado

Técnicas de investigação criminal foram usadas para correlacionar digitalmente o desenho com o retrato conhecido do artista e “envelhecê-lo” com tecnologia de reconfiguração facial, afundando os ossos molares e os olhos e enrugando a fronte.

À esquerda, a imagem original. À direita, o texto apagado, para exibir a imagem que estava escondida. (Foto: Reuters)

À esquerda, a imagem original. À direita, o texto apagado, para exibir a imagem que estava escondida. (Foto: Reuters)

A polícia considerou as duas imagens compatíveis “a tal ponto que podemos considerar razoável a hipótese de que as duas imagens retratam a mesma pessoa”. Os resultados foram validados por um cirurgião plástico, Giuseppe Leopizzi, e verificados novamente por meio digital, quando o autorretrato de Leonardo mais velho foi “rejuvenescido” digitalmente. 

Com as rugas removidas e os olhos mais brilhantes, a versão mais jovem do autorretrato mais velho foi superposta ao desenho recém-descoberto, e descobriu-se que era quase idêntica. “Encontrar um novo desenho de Leonardo já é algo espantoso por si só”, disse Angela. “Quando tentei envelhecer o rosto, colocando nele o cabelo e a barba do autorretrato famoso, um arrepio percorreu minha espinha. Parecia um irmão gêmeo de Leonardo.” 

O especialista em Leonardo da Vinci, Carlo Pedretti, da Universidade da Califórnia, descreveu o desenho como “uma das conquistas mais importantes no estudo de Leonardo, no estudo de sua imagem e também no estudo de seu pensamento”. “

(Fonte: G1)

Anúncios

Olhos malígnos no céu formado por nuvens.

 

Bizarro... uma face no céu formada por nuvens.

Bizarro... uma face no céu formada por nuvens.

Seria isso alguém, com sua cabeça nas nuvens, nos olhando aqui embaixo?

Esta incrível face maligna no céu foi feita por uma surpreendente formação de nuvens. Capturada de manhã cedo, o céu azul deu uma forma mais sinistra aos imensos olhos.

A filmagem foi feita por Mehmet Kandar, 18 anos, com seu celular na cidade Bokzir de Konya, Turquia.

Mehmet disse que ele e seu tio levantaram de manhã cedo para fotografar uma pomba especial, que geralmente é vista de manhã bem cedo.

“Estávamos passando pela mesquita quando percebemos essa imagem incomum no céu” – ele disse.

“Eu estava com muito medo enquanto filmava e meu tio começou a tirar fotos porque a imagem era incrível e surpreendente”.

Será isso um teste prévio do Projeto Blue Beam?

Veja a filmagem que Mehmet fez abaixo.

(Fonte: The Sun)

 

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

more about “Bizarre face formed in sky through cl…“, posted with vodpod

Atlântida descoberta no Google Earth!

Seria este o mapa da lendária Atlântida?

Seria este o mapa da lendária Atlântida?

Esta é a incrível imagem do que poderia ser da lendária cidade de Atlândida.
Ela apresenta um retângulo perfeito do tamanho do País de Gales no fundo do oceano Atlântico, a cerca de 5.500 metros de profundidade.
Apresenta um sequência de linhas intercruzando, como se fosse um mapa de uma grande metrópole, cercada por um perímetro facilmente delineado.
Parece ser muito grande e organizado para ter origem natural.      

Patrick Duffy como o "homem do fundo do mar" no seriado de TV da década de 1970.

Patrick Duffy como o "homem do fundo do mar" no seriado de TV da década de 1970.

O local fica a cerca de 1.350 km da costa ocidental da África, próximo das Ilhas Canárias – local sugerido pelo filósofo Platão em seu diálogo Crítias e Timeu. Ele acreditava que a civilização da Atlântida, em um só dia, foi tragada pelo mar devido a terremotos e inundações a cerca de 12 mil anos atrás.

As coordenadas para localização no Google Earth são:

31º23’51.15″N 24º26’36.14″O

O “mapa” apareceu no Google Ocean, um dispositivo do Google Earth que usa uma combinação de imagens de satélites e pesquisas oceânicas.
Noite passada (19/02/2009) o Dr. Charles Orser, curador de arqueologia histórica na Universidade de Nova York – um dos maiores estudiosos sobre a Atlântida – descreveu a descoberta como “fascinante”.
Ele disse: “O local é um dos mais proeminentes para se propor a localização da Atlântida, como foi descrito por Platão. Mesmo que seja somente uma ocorrência geológica, definitivamente merece uma melhor investigação”.
A lenda da Atlântida tem fascinado os estudiosos por séculos.
E na década de 1970, pelo seu mito, uma série de TV americana chamada “o homem do fundo do mar”, com Pratick Duffy, fez um enorme sucesso. O herói interpretado por Patrick podia viver embaixo d’água.

Localização do "mapa" no Google Earth.

Localização do "mapa" no Google Earth.

Situada em uma área chamada Plano Abissal da Madeira, o “mapa” foi localizado pelo engenheiro aeronáutico Bernie Bamford enquanto ele bisbilhotava pelo Google Ocean.
Bernie, 38 anos, morador de Chester na Inglaterra, disse: “Parece um mapa aéreo de Milton Keynes (Reino Unido). Só pode ter sido feito pelo homem”.

Concepção artística da metrópole perdida Atlântida submersa.

Concepção artística da metrópole perdida Atlântida submersa.

Segundo um porta-voz do Google, através de email ao site Information Week, “o que os usuários estão vendo é um artefato do processo de coleta de dados. Os dados batimétricos frequentemente são reunidos de barcos que usam sonar para tomar medidas do fundo do mar. As linhas representam o caminho do barco enquanto ele coleta os dados. O fato de existir espaços em branco entre essas linhas é um sinal de quão pouco nós conhecemos os oceanos do mundo”. 
(Fonte: The Sun)